Comentário do Show no Olympia

O Show da Cyndi Lauper no Olympia em São Paulo dia 01/11/94 única apresentação no nosso país foi um enorme sucesso, os portões só abriram às 20 horas como anunciado mas desde manhã a calçada da rua Clélia já estava tomada pelos fãs, foi muito legal, a turma toda do Show de 89 estava lá, rolou um clima de confraternização, todo mundo reconhecendo todo mundo, um astral altíssimo.Quando os portões foram abertos o coração começou a pulsar mais forte e a adrenalina tomou conta do espaço, às 22:00 horas o Olympia estava híper lotado, cerca de 5.000 fãs gritavam o nome da nossa estrela e se do lado de fora o clima de São Paulo estava quente dentro do Olympia estava fervendo.

Finalmente chegou o momento tão esperado, o auge de toda aquela loucura maravilhosa, foi exatamente às 22:35 horas que Cyn entrou no Palco, sem nenhum suspense, como quem entra na sala de sua própria casa, mas Cyn não precisa de suspense ou trombetas para anuncia-la, bastou ela pisar no palco para que o Olympia fosse ao delírio; gritos; palmas; desmaios, tudo para saudar nossa pequena grande dama. Cyn estava com Blazer e Pantalona escuros com um camisão vermelho por baixo e seu chapéuzinho vermelho ( o mesmo do clip Hey Now).

O Show começou com a arrazante “That’s What I Think” com Cyn tocando flauta impecavelmente, ainda no meio de “That’s What…” Cyn tira o chapéu e deixa amostra sua cabeleira amarela, o pique de “That’s…” segue por todo o Show que foi cheio de grandes momentos, logo no começo ela tira o Blazer e a pantalona e fica só com o camisão vermelho que depois é substituido por um mini vestido também vermelho que valoriza seu corpo perfeito, durante o Show ela toca vários instrumentos: flauta, acordeon, cítara e outros, em “Feels Like Christmas” e “Iko Iko” ela chega a trocar de posição de interprete pela de música fazendo uma deliciosa Jam com sua Banda de primeiríssima, em “Change of Heart” Cyn parece voar pelo palco e fica difícil acreditar que ela é uma simples mortal, na inédita “Come on Home” ela começa tocando sua cítara e mostra que entende do assunto, todos gostaram, outra que não é inédita mas era reconhecida para a grande maioria é a belíssima “I’m Gonna Be Strong” que Cyn gravou originalmente em 78 e lançou em 80 com sua banda na época, a “Blue Angel”, todo o poder e a extensão de sua voz Cyn derramou sobre o público que parecia não acreditar que fosse realidade, em “Sally”s Pigeons” o destaque foi a interpretação de Cyn, forte e emocionante, também destaque em Sally’s foi a introdução só com violino que ficou linda, outro momento incrível foi quando a Cyn trocou de lugar com uma de suas Backing Vocals, a privilegiada foi Catherine que Cyn apresentou da seguinte forma: “Ela canta como um passáro” e realmente arrasou cantando “Easy” (não é aquela que o Faith No More regravou) enquanto Cyn dava a honra de fazer backing para ela, antes disso Catherine já havia dividido o palco com a Cyn cantando juntas a deliciosa “Dear John”, a garota realmente tem valor, um dos momentos de grande descontração foi quando começaram a jogar presentes para Cyn, jogaram desde caixinha com lacinho até meia suja mas o que mais chamou atenção foi quando alguém jogou uma camisinha e Cyn gritou com a voz esganiçada “Eu tenho Marido” e logo em seguida aconselhou todos a usarem porque é uma boa maneira de se precaver.

A certa altura do show alguém começou a pedir “Goonies” o coro aumentou até praticamente todos estavam gritando “Goonies, Goonies, Goonies…”, infelizmente Cyn não cantou, ela disse que não gostava da música porque teve uma experiência ruim com ela, o que ficou no ar foi a pergunta “Por que será que ela se desgostou de uma de suas melhores músicas, o que final aconteceu? Mas isso não foi o suficiente para abalar o pique do Show, em “Hey Now” o coro do público que já havia cantado todas as músicas com ela foi ainda mais forte e deu para perceber pela expressão do rosto da Cyn que até ela se surpreendeu.
A música que fechou o Show foi a clássica “Time Afer Time”, toda a Banda com exceção do violinista sentou atrás da Cyn que também estava sentada com sua cítara sobre as pernas, ela tocou cítara e cantou “Time After Time” acompanhada pelo som do violino e o coro das 5.000 vozes que lotaram o Olympia, ao final ela agradeceu o público por tê-la recebido e a Banda tão bem e prometeu voltar fechando com um “OBRIGADA” cheio de sotaque e deixando o coração a alma de todos ali cheios de felicidade.

True Colors Tour Review

Cyndi Lauper during the True Colors ConcertNa semana dedicada a “Pride Week” na cidade de Toronto no Canadá ocorreu na terça-feira dia 19 de Junho o tão esperado concerto que reuniu grandes nomes da música. O show organizado pela cantora Cyndi Lauper trouxe artistas como Debbie Harry, Erasure e The Gossip.

O show ocorreu no Molson Amphie Theater a beira do lago Ontário. Começou por volta das 6 da tarde com diversas bandas abrindo o grande espetáculo. Por volta das 8 horas, Debbie Harry sobe ao palco trazendo seus grandes sucesso como algumas musicas que irão fazer parte de seu novo disco a ser lançado em Agosto de 2007. Após quase 1 hora de show o próximo artista entra em cena.

Erasure sobe ao palco e leva o público a loucura, com músicas mais agitadas e no estilo dance a audiencia simplesmente não conseguiu ficar mais sentado, foi uma explosão de emoção e alegria que contagiou a arena. Erasure ficou no palco por pouco mais de uma hora. Nos intervalos quando eram trocados os equipamentos, a comediante norte america Margareth Chow entrava em palco com parodias com relacao a vida gay. Ela simplesmente fez a platéia cair na risada e ajudou a todos entrar no clima para a esperada hora.

Eram 10:00 da noite quando as luzes se apagam, então possamos ver os membros da banda de Cyndi Lauper subir no palco preparando-se para o iniciar o show. Para minha surpresa, Cyndi começa  cantando nada menos do que “Hole in My Heart”. Ela inicia a canção atras de um veu branco, usando um chapéu de penas e uma peruca de cor laranja levando a delirio mais de 7.000 mil pessoas que assistiam ao espetáculo.

Ao final da canção, Cyndi agradece a todos por estar fazendo parte desse momento de ajuda a conscientização contra a discriminação aos gays. Diz que é hora de tirar a peruca e deixa claro que parte do que foi arrecadado com o show ira para uma organização não governametal nos EUA e para a Parada Gay em Toronto que se realizara no próximo Domingo dia 24.

A grande surpressa do momento foi quando Cyndi canta com a banda a musica “The Goonies R Good Enough” . Para quem conhece a história, a musica havia sido composta para o ex-namorado de Cyndi, que por motivos particulares, a cantora nunca mais havia cantado em shows desde o término do relacionamento em 1989. Cyndi havia cantado “Goonies” a capella, porém apenas pequenos trechos quando atendia a pedidos da platéia. Pela primeira vez em anos, ela coloca a musica no seu repertório.

Outro grande sucesso que havia sido esquecido porem não nesse dia foi “When You Were Mine”. Cyndi tambem trouxe duas musicas inéditas, uma que não recordo o nome, a outra Set Your Heart, já conhecida por muitos de nós desde que ela cantou no programa da Whopi Goldberg.

I Drove All Night veio com todo estilo e garra, Cyndi simplesmente não parava no palco, descendo duas vezes indo de encontro com a platéia. Cyndi canta entao Fearless que durante o inicio da musica devido a problemas técnicos não pode ser escutada pela platéia, seguidos de Time After Time e na grande final “Girls Just Want to Have Fun”.

Ela então se despede de todos com um beijo, porem não diz tchau. Seria isso um sinal de que algo mais estava por vir? Acertou quem disse sim. Após sua saida do palco, Cyndi volta com todos os artistas trazendo balões gigantes com as cores do arco-íris o qual são lançados ao público.

Como o nome da tour era True Colors, essa famosa balada não poderia ficar de fora do repertório. Com a participação de todos, Cyndi comeca a cantar True Colors o qual foi feito em dueto com o vocalista da banda Erasure. Ao palco todos de mãos dadas cantam com a platéia o hino que fez parte de muitas gerações.

No final, eles cantam ABBA, se despedem e dizem adeus. Ficou certamente uma grande lembrança do show para os que estavam presentes, Cyndi sempre demostra ser uma artista e pessoa com garra e muito caracter e respeito pelo próximo e pelas diferenças, sempre lutando para a igualdade e respeito entre todos.

Déborah Blando x Cyndi Lauper

Deborah Bland volta ao Brasil e no programa ela começou a entrevista lembrando da última vez que esteve aqui, em 1992, acompanhada do americano David , que estava presente na platéia. Jô desta vez perguntou se David já falava um pouco de português, e ele respondeu com um sonoro “Eu falo pra caralho…”, carregado de sotaque, para gargalhada geral de todos ali presentes.

David contou para o Jô que quando fez o programa pela primeira vez era conhecido como “Foda-se”, “Viado”. Ele é o empresário de Deborah Blando, que nasceu na Itália mas foi criada no Brasil, em Florianópolis, e depois se mudou para os Estados Unidos.

David é o mesmo empresário da cantora Cyndi Lauper, e falou que “as duas são similares, mas muito diferentes”, para nova explosão de risadas da platéia e do Jô. Ele disse que as duas são cantoras de origem italiana, mas Deborah tem mais ritmo, e é muito mais sexy.

Ele sempre acompanha a cantora ao Brasil, e só aprende “bobagens” na língua portuguesa. Deborah morava em Nova Iorque, mas mudou-se para o Colorado, para viver com o namorado Mark, assistente de um compositor e produtor de discos que tem um estúdio no meio da fazenda onde vivem. No final do programa, Deborah cantou na canja do Jô.

“Esse pequeno texto é um resumo do programa de numero 1854 de 04/15/97 do Jô Soares 11:30 exibido pelo SBT. Nesse programa Deborah Blando estava acompanhada de seu empresário David Wolf, que foi o empresário e noivo de Cyndi Lauper, atualmente Cyndi possui outro empresário e já é casada desde 1991.

O texto entra em contradição quando diz que ambas as cantoras possuem o mesmo empresário, pois quando foi realizada a entrevista ele já não trabalhava mais para Cyndi. Dizem que o encontro de Deborah com David Wolf , deu-se durante o show de 1989 em São Paulo, onde Deborah invadiu literalmente o camarim de Cyndi Lauper cantando para David. Ouve a partir dali um desentendimento entre Cyndi e David, o qual ocasionou numa separação tanto no trabalho quanto na vida sentimental de ambos..”

“Essa nota foi tirada do website do programa Jô Soares 11:30, o qual faz parte dos resumo dos programas já exibidos.”