Comentário do Show no Olympia

O Show da Cyndi Lauper no Olympia em São Paulo dia 01/11/94 única apresentação no nosso país foi um enorme sucesso, os portões só abriram às 20 horas como anunciado mas desde manhã a calçada da rua Clélia já estava tomada pelos fãs, foi muito legal, a turma toda do Show de 89 estava lá, rolou um clima de confraternização, todo mundo reconhecendo todo mundo, um astral altíssimo.Quando os portões foram abertos o coração começou a pulsar mais forte e a adrenalina tomou conta do espaço, às 22:00 horas o Olympia estava híper lotado, cerca de 5.000 fãs gritavam o nome da nossa estrela e se do lado de fora o clima de São Paulo estava quente dentro do Olympia estava fervendo.

Finalmente chegou o momento tão esperado, o auge de toda aquela loucura maravilhosa, foi exatamente às 22:35 horas que Cyn entrou no Palco, sem nenhum suspense, como quem entra na sala de sua própria casa, mas Cyn não precisa de suspense ou trombetas para anuncia-la, bastou ela pisar no palco para que o Olympia fosse ao delírio; gritos; palmas; desmaios, tudo para saudar nossa pequena grande dama. Cyn estava com Blazer e Pantalona escuros com um camisão vermelho por baixo e seu chapéuzinho vermelho ( o mesmo do clip Hey Now).

O Show começou com a arrazante “That’s What I Think” com Cyn tocando flauta impecavelmente, ainda no meio de “That’s What…” Cyn tira o chapéu e deixa amostra sua cabeleira amarela, o pique de “That’s…” segue por todo o Show que foi cheio de grandes momentos, logo no começo ela tira o Blazer e a pantalona e fica só com o camisão vermelho que depois é substituido por um mini vestido também vermelho que valoriza seu corpo perfeito, durante o Show ela toca vários instrumentos: flauta, acordeon, cítara e outros, em “Feels Like Christmas” e “Iko Iko” ela chega a trocar de posição de interprete pela de música fazendo uma deliciosa Jam com sua Banda de primeiríssima, em “Change of Heart” Cyn parece voar pelo palco e fica difícil acreditar que ela é uma simples mortal, na inédita “Come on Home” ela começa tocando sua cítara e mostra que entende do assunto, todos gostaram, outra que não é inédita mas era reconhecida para a grande maioria é a belíssima “I’m Gonna Be Strong” que Cyn gravou originalmente em 78 e lançou em 80 com sua banda na época, a “Blue Angel”, todo o poder e a extensão de sua voz Cyn derramou sobre o público que parecia não acreditar que fosse realidade, em “Sally”s Pigeons” o destaque foi a interpretação de Cyn, forte e emocionante, também destaque em Sally’s foi a introdução só com violino que ficou linda, outro momento incrível foi quando a Cyn trocou de lugar com uma de suas Backing Vocals, a privilegiada foi Catherine que Cyn apresentou da seguinte forma: “Ela canta como um passáro” e realmente arrasou cantando “Easy” (não é aquela que o Faith No More regravou) enquanto Cyn dava a honra de fazer backing para ela, antes disso Catherine já havia dividido o palco com a Cyn cantando juntas a deliciosa “Dear John”, a garota realmente tem valor, um dos momentos de grande descontração foi quando começaram a jogar presentes para Cyn, jogaram desde caixinha com lacinho até meia suja mas o que mais chamou atenção foi quando alguém jogou uma camisinha e Cyn gritou com a voz esganiçada “Eu tenho Marido” e logo em seguida aconselhou todos a usarem porque é uma boa maneira de se precaver.

A certa altura do show alguém começou a pedir “Goonies” o coro aumentou até praticamente todos estavam gritando “Goonies, Goonies, Goonies…”, infelizmente Cyn não cantou, ela disse que não gostava da música porque teve uma experiência ruim com ela, o que ficou no ar foi a pergunta “Por que será que ela se desgostou de uma de suas melhores músicas, o que final aconteceu? Mas isso não foi o suficiente para abalar o pique do Show, em “Hey Now” o coro do público que já havia cantado todas as músicas com ela foi ainda mais forte e deu para perceber pela expressão do rosto da Cyn que até ela se surpreendeu.
A música que fechou o Show foi a clássica “Time Afer Time”, toda a Banda com exceção do violinista sentou atrás da Cyn que também estava sentada com sua cítara sobre as pernas, ela tocou cítara e cantou “Time After Time” acompanhada pelo som do violino e o coro das 5.000 vozes que lotaram o Olympia, ao final ela agradeceu o público por tê-la recebido e a Banda tão bem e prometeu voltar fechando com um “OBRIGADA” cheio de sotaque e deixando o coração a alma de todos ali cheios de felicidade.

One Reply to “Comentário do Show no Olympia”

  1. Eu tava lá…e foi lindo assim como vc descreveu…Fiquei na grade, espremido, mas feliz demais da conta…Inesquecível…E esse seu relato detalhado me fez lembrar de cada momento único…Parabéns !

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *