Parte III

Cyndi Lauper pode ter sofrido no início de sua carreira, mas foi assim construindo um enorme mercado de talento; ela se destilou a cada fase para ser uma grande estrela da música. Seus trabalhos ficaram cada vez melhores!” Após “Sisters Of Avalon” de 1997, seu reduto então, foi o ponto de partida para largar a EPIC Records, seu disco sofreu as conseqüências. Seu trabalho mais denso revelou que ela não era apenas trabalho, ela queria mais e em 19 de Novembro após um show ela embarcou em sua limusine a caminho do Hospital para dar início à nova fase de sua vida, o nascimento de seu primogênito “Declyn Wallace Lauper – Thornton”, que nasce com um coração saudável.

Em 1998 ela resolve mergulhar na sua inspiração, para gravar um disco de Natal, neste meio tempo ela lançou com vários artistas a coletânea “Largo” lançado para a Europa e Canadá, ela está em “White Man’s Melody” e num dueto com o vocalista do The Hooters, “Cyrus In Moolight”. E em novembro ela regrava “Disco Inferno” sucesso de “Tina Turner” para o filme “A Night At The Roxbury (Os Estragos de Sábado A Noite)”. E em 15 de Dezembro sai o seu 7° CD “Merry Christmas… Have A Nice Life!” com a maioria das composições de sua autoria sendo “New Years Baby (First Lullaby)” com participação do choro de Declyn! Ela compôs para seu filho sua 1° canção de ninar.

No ano seguinte em 1999, Cyndi concorre ao “Grammy Awards” por melhor arranjo dance por ‘Disco Inferno”, mas infelizmente não foi desta vez, então ela resolve quebrar seu contrato milionário com a EPIC e lança o single “Disco Inferno” na “Jellybean Records” e pela 1° vez excursiona ao lado de Cher, com um sucesso nas pistas de dança o single vendeu muito bem e esta turnê ficou entre as melhores de 1999. Em agosto ela assina contrato com a produtora independente “Flashstar” para atuar em seu 1° papel dramático no 4° filme de sua carreira. “The Opportunists (Os Oportunistas)” no papel de “Sally Mahon” que foi lançado no ano seguinte, e grava “Twilight Eyes”, “Midnight Radio” e “If By A Chance” ao lado de Deborah Harry e Patti Scialfa. No mesmo ano aparece duas vezes no seriado “Mad About You” no mesmo papel que lhe rendeu um Emmy de melhor atriz no ano de 95.

Em 2000, ela corre atráz de uma gravadora, cogitando em gravar seu primeiro disco criando seu próprio selo. Neste ano o filme “The Opportunists” foi aclamado pela crítica e recebeu indicação ao Oscar por melhor atriz, até recebeu propostas tentadoras para atuar na 2° parte do filme “X-Men 2” no papel de Kristal, mas ela não aceitou. Também compôs uma música para a trilha sonora do filme “Rugrats In Paris” em “I Want A Mom That Will Last Forever”. Em agosto ela assina contrato com a gravadora “Edel America Records” para lançar o novo CD. No final do ano grava uma canção de Natal “Winter Wonderland” para o programa especial de Natal de “Martha Stwart”, que saiu um vídeo clipe com muitos doces. É neste ano que Cyndi Lauper vira militante do “Orgulho Gay”.

Em 2001, ela anuncia o lançamento do novo álbum “Shine” para julho, mas com alguns problemas ela adia seis vezes, sendo a última para o dia 11 de setembro, uma semana antes sua gravadora Edel faliu e logo as faixas do CD disponibilizaram-se na Internet. Cyndi abre turnê americana até o fim de 2001, e grava “Five Days” para o álbum do cantor “Tricky” e mais uma apresentação na parada Gay em Chicago.

Em 2002, ela assina com a gravadora independente “Oglio Records” para lançar o CD, mas a gravadora sugere que seja um “EP” ou então “Shine Ep” seu 8° CD com 4 faixas inéditas “Shine”, “It’s Hard To Be Me”, “Madonna Whore” e “Water’s Edge” e uma versão para a faixa principal “The Illicit Mix” que sai em 25 de junho, Cyndi aceita abrir as turnês de Cher pela segunda vez. “O que eu queria dizer para todo mundo é o quanto eu agradeço por me ouvir quando eu achava que ninguém estava nem aí para mim.”. Neste meio tempo ela cantou “There’s No Business Like Show Business” na Broadway. Lauper faz sucesso com o novo mini-CD, colocando “Shine” e “Water’s Edge” no top 10 da Billboard. Neste embreado de turnês ela e Cher participaram do “Divas Las Vegas” pela 1° vez, e mais uma participação no Orgulho Gay.

Em 2003, na Oglio ela lança o single “Shine Remixes” em edição limitada. Após tantos problemas com gravadora ela resolve voltar para sua antiga gravadora “EPIC”, devido a tantos problemas de pirataria a Epic Records e Daylight formam o novo selo “Epic/Daylight“. “At Last” seu 9° álbum com sucessos do passado como: “Walk On By”, “La Vie Em Rose”, “Unchained Melody” e “Stay” foram recriados na voz exuberante de Cyndi. O álbum chegou às lojas em 18 de novembro, mas só em dezembro chega ao Brasil. Este CD causou um surto na sua procura por ser o melhor disco de clássicos reunidos por uma diva que praticamente estava sumida do mapa (no Brasil). Este disco é uma comemoração de seus 50 anos e de seus 20 anos de carreira solo, ela posou com roupa de festa e cabelo descoloridos.

Em 2004 Cyndi abre turnê mundial passando pelo Canadá, Japão, Austrália e Europa sendo a última uma grande repercussão em público, At Last chega ao topo das paradas na Europa e vende 5 milhões de cópias no mundo. Em Nova York no teatro “Town Hall” ela grava seu 3° vídeo “Live… At Last”, estendendo sua turnê até 8 de setembro. Numa de suas visitas à Paris ela foi convidada a participar com 2 canções em francês “Allons A Grand Contau” e “Festival Zydeco” para o álbum “Creole Bred & Zydeco”. E no EUA Cyndi lidera o “Divas Las Vegas” ao lado de “Patty Labelle”. No fim do ano ela grava duas músicas inéditas “I’ll Be Your River” e “Above The Clouds” para o próximo CD e regrava em nova versão “Silent Night” para o single de mesmo nome, tendo uma boa vendagem no EUA. Em abril no Japão, ela libera “Shine” seu 8° álbum (Que em 2002 saiu para o EUA com apenas 4 canções) com todas as 12 faixas incluindo uma bonus “I Miss My Baby” lançado pela “Sony Japan”.

Em 2005, ela concorre ao Grammy por melhor arranjo musical para “Unchained Melody”, mas não leva. Em maio ela e seu marido “David Thornton” processam os donos de seu apartamento em Nova York. Em agosto ela ganha o prêmio “Human Lights”, para as pessoas que lutam contra o preconceito aos gays. Em novembro ela lança para o EUA e Japão seu 10° álbum “The Body Acoustic”, com participação de famosos como: Sarah McLachlan, Shaggy, Ani Difranco, Vivian Green, Adam Lazzera, e as Puffy Ami Yumi. Ela Abre turnê e é homenageada no “Decades Rock Live”. Cyndi também participa dos Seriados “Queers A Folk (Os Assumidos)” cantando “Shine” em nova versão, e no seriado “That’s So Raven! (As Visões da Raven)” no papel de “Miss Petuto”.

Em 2006, Lauper estréia na Broadway com a peça “Tree Penny Opera (Opera dos Três Vinténs)”, no papel de “Jenny Diver” uma prostituta, ao lado de Nellie McKay, Jim Dale, Ana Gasteyer e Alan Cumming. Numa de suas apresentações à cantora “Madonna” foi assisti-la e elogiou o seu trabalho. Em junho Cyndi concorre ao “Tony Awards” (Prêmio do teatro americano) por melhor atriz de teatro musica e se apresenta em Ny na festa do Orgulho Gay. Em julho é lançado no resto do mundo “The Body Acoustic” voltando a tocar nas rádios do Rio Grande do Sul, aqui no Brasil.

Em agosto ela prometeu um álbum de inéditas para o ano de 2007 e aparece ao lado de seu filho “Declyn Wallace” no Reality Show “Canadian Idols”. Cyndi participa do CD “My Friends And Me” da cantora Dione Warwick na canção “Mensage To Michael”, e está produzindo o álbum da ganhadora do programa “Canadian Idols” Eva Avila, Lauper emprestou uma de suas canções para o disco dela que se chama “This Kind Of Love”. No final de 2006 Cyndi se apresenta no “Times Squere Gargen” e anuncia oficialmente seu novo CD para 2007.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *